A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Relatório - Determinação de Cinzas - 18-09

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE PAULISTA
CURSO DE NUTRIÇÃO
CAMPUS: TATUAPÉ
AULA PRÁTICA nº 2 :
DETERMINAÇÃO DE CINZAS
Gabriela de Melo Santos RA: C212EF-9
Karina Santos Costa RA: C02345-0
Paloma Aparecida Martins RA: C247GG-0
Juliana Carneiro RA: C3093A-0
Claudiane dos Reis RA: C325CC-9
Lucas de Andrade RA: C18EHJ-3
Prof.ª Mestre Vanessa Bernardelli
Bromatologia
São Paulo, 25 de Setembro de 2014
INTRODUÇÃO
O Método para determinação de cinzas é empírico e o teor obtido, vai depender do método, tempo de incineração e temperatura empregada. Para cada tipo de amostra existem condições recomendadas que devem ser verificadas antes de proceder a sua determinação. Amostras com alto teor de umidade devem sofrer secagem antes da incineração. Em alguns casos recomenda-se uma queima da amostra em bico de Bunsem antes de colocá-la na mufla.
OBJETIVO
 Familiarização com a técnica para determinação de matéria inorgânica em alimentos, tais como sais minerais existentes ou transformados durante sua queima.
MATERIAIS E MÉTODOS
- Balança analítica;
- Cadinhos de alumínio e porcelana
- Mufla aquecida a 550º C
- Amostras de biscoito tipo cream cracker;
- Dessecador;
- Espátula;
- Pinça
Procedimento
Pesar em balança analítica um cadinho previamente aquecido a 550ºC e resfriado em dessecador. Pesar um cadinho em balança analítica. Anotar data, número e peso do cadinho.
Registre o peso em seu caderno.
Pese então de 3 a 5 g de amostra e tome nota em seu caderno.
Após isto, coloque o cadinho na mufla pré aquecida a 550ºC deixando-a ali pelo período de 2 horas (até que o resíduo apresente cor branca ou cinza claro ou mostre peso cte, isto é, variação de 0,0001g entre as pesagens)
Após este período, transfira o cadinho para um dessecador e espere esfriar completamente.
Pese o cadinho com as cinzas e registre o peso em seu caderno.
RESULTADOS
Após o término dos procedimentos chegamos aos seguintes dados:
	Amostra: Biscoito Cream Cracker
	Nº do cadinho
	Peso do cadinho vazio (g)
	Peso da amostra (g)
	Peso do cadinho + cinzas (g) (após mufla)
	11
	39, 5344
	3, 2643
	40, 1548
	4
	36, 3571
	3, 8861
	36, 8395
Amostra nº 11:
Peso da amostra (g) ------- 100%
Peso das cinzas (g) --------- x%
3, 2643 -------- 100%
0,6204 ---------- x%
 3,2643x = 62,04
 X = 62,04 
 3, 2643
X= 19,0056
Amostra nº 4:
Peso da amostra (g) ------- 100%
Peso das cinzas (g) --------- x%
3, 8861-------- 100%
0,4824 ---------- x%
 3, 8861x= 48,24
 X = 48,24
 3, 8861
X= 12,4134
Média:
19,0056 + 12,4134 = 31,419
31,419/2 = 15,7095
DISCUSSÃO
Com a finalização dos ensaios e os resultados alcançados, concluímos que o valor médio de porcentagem referente ao teor de cinza da amostra é de: 15,7095 %, em contrapartida, o valor da porcentagem de cinzas que consta na TACO – Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, é de 2,7%; um valor totalmente diferente e menor em relação ao nosso obtido no laboratório.
CONCLUSÃO
 Com base na análise laboratorial e observação dos resultados apresentados, verifica-se que a amostra de biscoito cream cracker demonstrou variação significativa quanto ao teor de cinzas, não atingindo os padrões pré-estabelecidos. 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Cecchi,H. M. Fundamentos teóricos e práticos em análises de alimentos. Editora da Unicamp, 2001
AOAC, Officil Methods of analysis of AOAC INternational: Food Composition, additves, natural contaminats. 16 ed., Maryland, 1997