A Gárgula de Paris

Fernando herren Aguillar

Ano: 2014 | Editora: AtlasISBN 9788522495214
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • avaliações

Resumo

Na Paris do século XIII, um jovem estudante de doutorado é alvo de uma perigosa armadilha. Se aceitar a proposta de seu enigmático orientador, poderá ter a chance de alcançar altos postos na hierarquia universitária. O tempo revelará o preço a pagar pela aceitação ou recusa da proposta.Este envolvente thriller histórico desnuda os conflitos da universidade medieval, em que os professores lutam pelo poder como senhores feudais. Os alunos, indolentes, lascivos e gananciosos, mas também conscientes do poder de que desfrutam, criam, à força de revoltas, depredações e arruaças nos cabarés da cidade, as bases da nascente Universidade de Paris. Que segredos escondem os mais renomados mestres de Paris, vaidosos e histriônicos, mas com fragilidades morais que ninguém conhece? Até que ponto pode chegar um orientador na manipulação de seus alunos, movido por interesses pessoais inconfessáveis? A que fins se destinam as diversas irmandades secretas escondidas nas entranhas de Paris?Os Reis Louis IX (São Luís) e Henry III (da Inglaterra), Robert de Sorbon (fundador daSorbonne), os Papas Inocêncio IV e Alexandre IV, Tomás de Aquino (estudante em Paris), o poeta Rutebeuf e o Professor Guillaume de Saint-Amour são personagens reais envolvidos nesta trama de ódios profundos entre clérigos seculares e mendicantes, na luta pelo poder universitário.Embora o enredo seja fictício, em bases históricas reais, o livro não deixa de ser uma alegoria da universidade contemporânea, frequentemente mais preocupada com a luta pelo poder do que com a produção acadêmica.“A partir dos bem construídos antagonistas que dão força à trama – Grisail, brilhante e cínico, Jacques, ingênuo e idealista – Aguillar, aliando sutileza de análise e agilidade narrativa, constrói uma alegoria delicada sobre a lógica do poder e seus perigos. O leitor, capturado pelo ritmo veloz das voltas e contravoltas das boas narrativas de mistério, pode entrever a crítica mais densa que se esconde sob a rapidez da ação.” (José Garcez Ghirardi)
A Gárgula de Paris

A biblioteca de livros é um conteúdo restrito para assinantes.