A Patente Farmacêutica nos Países em Desenvolvimento: Os Efeitos do TRIPS na Política Brasileira de Combate ao HIV

A Patente Farmacêutica nos Países em Desenvolvimento: Os Efeitos do TRIPS na Política Brasileira de Combate ao HIV

Paula cureau de Bessa antunes

Ano: 2015 | Editora: AtlasISBN 9788597000900
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • avaliações

Resumo

Este livro objetiva discutir as consequências da imposição de patente farmacêutica para os países em desenvolvimento. O foco do estudo foi a patente farmacêutica, por ter consequência direta nas vidas das populações de Estados mais pobres e ser avidamente defendida pelos grandes laboratórios que alegavam, dentre outros motivos, que sem ela não haveria mais pesquisas para novos medicamentos por não haver uma garantia mínima de lucro. Trata-se de um dos aspectos mais controversos da propriedade intelectual.Inicialmente, faz uma análise sobre o instituto da patente, estudando os benefícios do direito de exclusividade, assim como todas as suas limitações. Em seguida, explica o General Agreement on Tariffs and Trade (GATT) para se chegar à Rodada Uruguai, na qual foi criada a OMC (Organização Mundial do Comércio) e instituído o Acordo TRIPS (Agreement on Trade Related Aspects of Intellectual Property Rights).O Acordo foi emblemático, pois impôs a todos os membros da Organização uma mesma regra de patentes, criando divergências entre os países desenvolvidos e os em desenvolvimento. Assim, foram analisados os argumentos da indústria farmacêutica, bem como os contrários à proteção, até se chegar à Declaração de Doha, uma tentativa de relativizar os possíveis efeitos nefastos da exclusividade na área da saúde.O capítulo final traz um estudo de caso sobre os efeitos do TRIPS na política brasileira de combate ao HIV, para entender as medidas tomadas pelo país, que o colocaram em posição de evidência na esfera internacional, e verificar como as demais nações em desenvolvimento – que enfrentam as mesmas dificuldades que o Brasil – poderiam proceder a fim de resguardar a saúde de suas populações e seu desenvolvimento nacional.
A Patente Farmacêutica nos Países em Desenvolvimento: Os Efeitos do TRIPS na Política Brasileira de Combate ao HIV

A biblioteca de livros é um conteúdo restrito para assinantes.