Processo de Conhecimento e Cumprimento de Sentença - Comentários ao CPC de 2015

Processo de Conhecimento e Cumprimento de Sentença - Comentários ao CPC de 2015

Fernando da fonseca Gajardoni, Luiz Dellore, Andre vasconcelos Roque, Zulmar duarte Oliveira jr.

Ano: 2016 | Editora: MétodoISBN 9788530971854
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • avaliações

Resumo

O 2º volume destes Comentários tem o compromisso de continuar a analisar e interpretar, de forma aprofundada, o Novo Código de Processo Civil (Lei 13.105/2015), agora no tocante ao processo de conhecimento e ao cumprimento de sentença. Dentro da mesma ótica do 1º volume, são potencializadas as novidades da nova legislação sem desconsiderar o passado, mas também não ficando a ele amarrado. O CPC/2015 é comentado como ele é, não como os autores ou outros desejavam que ele fosse, pois todo Código – e esse não será diferente – traz consigo sua porção de sombra e luz, de acerto e erro, de novas ideas, renovadas ilusões e algumas frustrações. Os autores, apesar de se dedicarem ao estudo e ao ensino do direito processual civil há anos, têm diferentes origens e formações (SP, RJ e SC), atuam em frentes profissionais diversas (advocacia privada, advocacia pública e magistratura), pelo que revelam preocupações distintas diante do processo. Ainda assim, os presentes Comentários exprimem perspectiva processual compartilhada. A ampliação dos enfoques permitiu uma latitude maior dos horizontes. A alteridade na sua confecção permitiu que cada autor visse o Novo CPC pelos olhos dos outros. Este é o 2º livro de uma série que já conta com um 1º volume (Teoria Geral do Processo: Comentários ao CPC de 2015) e que ainda contará com um 3º volume (dedicado ao estudo do processo de execução e dos meios de impugnação das decisões judiciais). O livro se encontra totalmente atualizado com as Leis 13.256/2016 (Reforma do Novo CPC), 13.146/2015 (Estatuto da Pessoa com Deficiência) e 13.140/2015 (Lei de Mediação). Que tenha início, então, uma nova sinfonia processual, com a participação de todos na construção de um sistema processual efetivo, justo e seguro.